O que são?

Os dilatadores vaginais são acessórios utilizados para tratar e também prevenir alterações e disfunções relacionadas à dor pélvica associadas à penetração vaginal.
Ao contrário do que se acredita, o objetivo do uso dos dilatadores vaginais não é alargar o canal vaginal ou a abertura da vagina, mas sim, ajudar a mulher a obter percepção, controle e domínio sobre a musculatura do assoalho pélvico que envolve o canal vaginal.

Benefícios:

  1.  dar flexibilidade ao tecido vaginal,
  2.  estimular a percepção pélvica,
  3.  promover a dessensibilização do canal vaginal,
  4.  incentivar o relaxamento dos músculos do assoalho pélvico reduzindo a tensão muscular,
  5.  melhorar o conforto físico na relação sexual,
  6.  recuperar a flexibilidade após cirurgia do assoalho pélvico na cicatrização e estreitamento e/ou encurtamento da vagina,
  7.  superar o medo da penetração vaginal,
  8.  prevenir aderências e fibroses,
  9.   permitir o uso de absorventes internos e aplicação de medicação vaginal,
  10.  facilitar a realização de exames ginecológicos como o papanicolau e ultrassom transvaginal.

Como escolher?

Há uma variedade de kits de dilatadores para escolher!

No momento da escolha, procure levar em conta as características de cada produto e verifique qual se adequa as suas necessidades.

Alguns fatores podem influenciar na sua decisão, tais como:

Tamanhos: Os dilatadores vaginais possuem tamanhos e diâmetros graduais. Alguns conjuntos começam com tamanhos menores que outros, isso pode ajudar ao longo do tratamento. Também deve ser observado o tamanho e diâmetro do maior dilatador, se ele condiz com o objetivo final do seu tratamento.

Quantidade: Geralmente os kits contêm de 5 a 8 dilatadores. Quanto maior a quantidade de dilatadores em um kit, menor a diferença de tamanho entre eles, isso também pode ajudar na evolução do tratamento.

Material: Em geral os dilatadores são feitos de derivados da borracha, pvc, vinil, dentre outros materiais macios, atóxicos. Existem também alguns dilatadores feitos de plástico, que são mais rígidos.

Formato: Alguns são curvos e outros com linhas mais retas. Uns podem apresentar alças, pegadores e/ou ventosas para dar apoio ou facilitar o manuseio. Em geral, eles possuem formato cônico-cilíndrico, parecidos com os absorventes internos, com as sondas de ultrassom transvaginal, com um pênis, entre outros.

Origem de fabricação: Nacional ou importado. Atualmente os dilatadores vaginais fabricados no mercado brasileiro são de ótima qualidade.

Preço: Pode variar dependendo dos fatores citados e, por isso, também deve ser considerado na hora da escolha.

Avalie suas opções e converse com o seu profissional de saúde! Ele vai lhe ajudar a escolher o melhor conjunto para você.

Indicações:

Os Dilatadores Vaginais são comumente indicados por médicos, fisioterapeutas pélvicos, terapeutas sexuais, psicólogos, enfermeiros, dentre outros profissionais da saúde para o tratamento de:

  • Vaginismo: contração involuntária dos músculos do assoalho pélvico, impossibilitando a penetração
  • Dispareunia: dor pélvica causando uma relação sexual difícil ou dolorosa
  • Atrofia vulvar e vaginal na menopausa
  • Dificuldade no rompimento do hímen: hímen complacente ou fibroso
  • Estenose vaginal: redução da elasticidade vaginal, estreitamento e aderências resultantes da radioterapia pélvica ou braquiterapia
  • Líquen escleroso: doença de pele que causa o surgimento de lesões esbranquiçadas geralmente na região genital
  • Neovagina e Agenesia vaginal: construção e reconstrução do canal vaginal
  • Vulvodínia ou vestibulodinia: ardência na região da vulva
  • Endometriose: síndrome caracterizada pela presença do endométrio fora da cavidade uterina provocando dor
  • Pós cirúrgicos genitais
    Pós cirúrgico de redesignação sexual: mudança de sexo
  • História de trauma sexual: problemas psicológicos e problemas de saúde sexual associados à penetração vaginal
  • Canal vaginal encurtado ou estreito resultante de cirurgia ginecológica
  • Entre outros

Potencializando os resultados

É recomendável que o uso dos dilatadores seja realizado sob orientação de profissionais especializados como fisioterapeutas pélvicos, psicólogos, médicos ginecologistas, enfermeiros oncológicos, terapeutas sexuais, dentre outros profissionais da área da saúde, que sejam devidamente habilitados para indicar e orientar sobre o uso correto dos dilatadores.

As técnicas utilizadas com os dilatadores vaginais geralmente são personalizadas para cada caso e discutidas entre o paciente e o profissional.

É importante lembrar que o uso do dilatador é mais bem sucedido quando a mulher está com boa saúde vaginal, isto é, com todos os diagnósticos médicos abordados e descartados, livre de infecção vaginal, coceira, secreção com odor ou sintomas incomuns.

Precauções importantes ao usar os dilatadores vaginais:

  • Não ultrapasse os limites do seu corpo. Mantenha o desconforto mínimo
  • Nunca use o dilatador de outra pessoa
  • Quando for utilizá-lo, revista-o sempre com um preservativo
  • Não use dilatadores se houver suspeita de infecção vaginal ou sintomas incomuns
  • Evite usar dilatadores imediatamente após cirurgia pélvica – exceto quando indicado por especialistas
  • Higienize seu dilatador antes e após o uso conforme orientações do fabricante
  • Em caso de sangramento fora do período menstrual, suspenda o uso e procure orientação médica
  • Antes de utilizar o produto, consulte um profissional especializado